Como evitar mordidas de cães


A maioria dos ataques e mordidas de cães ocorrem em casa. Muito provavelmente, o melhor amigo de quatro patas não pretendia machucar alguém, mas as vezes ele pode se deixar levar durante um momento e acidentalmente morder.

Outros cães, especialmente os de raças menores, podem morder para chamar a atenção. Ja os filhotes podem morder para aliviar o incomodo quando os dentes estão nascendo. Aqui estão algumas dicas para reduzir as chances de ser mordido.

  • Evite jogos agressivos.

Se você começar uma “luta”, como um cabo-de-guerra, ou mesmo um jogo particularmente enérgico de rolar, puxar e/ou apertar com o seu cão, você pode ser acidentalmente mordido. Lembre-se, seu cão usa a boca para prender coisas. Se você está lutando, isso pode significar o seu braço ou perna. Seu cão deve também aprender um comando como “larga”, o que é especialmente útil durante uma brincadeira com bolinhas e que você não precise arrancar a bola de dentro da boca dele – o que pode ser uma boa maneira de ferir um dedo.

  • Ensine comportamento submisso.

Seu cão deve ser treinado desde cedo para desistir de alimentos sem rosnar ou morder, deitar de costas e expor a barriga, e outros comportamentos submissos. Se o seu cão sabe que você é o líder da matilha, você vai ser capaz de parar todos os comportamentos indesejáveis ​​ou perigosos quando ocorrerem.

  • Castramento.

Não só isso é uma boa idéia para o controle da população, mas também reduz a agressividade em cães.

  • Vacine seu cão.

A coisa mais triste que pode acontecer é se o seu cão se tornar agressivo porque contraiu raiva. Visite o veterinário regularmente e certifique-se de que a vacinação do seu cão contra a raiva e outras doenças esta atualizada. Enquanto seu cão envelhece, ele também pode ser propenso a demência ou outras doenças degenerativas que podem causar um comportamento agressivo. O seu veterinário pode ajudá-lo com o seu diagnóstico e tratamento.

  • Não deixe seu cão sozinho com bebês ou crianças pequenas.

Deixar cães e bebês sozinhos pode ter consequências trágicas. Existem muitas histórias horríveis de crianças atacadas por um animal de estimação da família. O mais provável é que não foi um ataque, mas o cão tentando brincar com o bebê ou imitando algo que ele viu o pai fazer. Ou as vezes, se defendendo de um puxao no rabo ou em alguma outra parte que o incomode.

Nós vemos os cães carregarem seus filhotes pela nuca. Porem, com um bebê, isso pode ser fatal. Crianças também são propensas a morder ou bater nos cães, ou ainda tentar montá-los como um cavalo, o que também pode provocar uma mordida. Mesmo que você só saia da sala por um minuto ou dois, você estará proporcionando uma situação perigosa. Portanto, sempre fique por perto e observe a criança enquanto ela brinca com o cão.
Seu cão ja mordeu alguém? Ou você já foi a vítima de uma mordida de cão? O que aconteceu? Compartilhe a sua experiência com a gente nos comentários.

Anúncios

Atrás das grades


Li uma reportagem muito interessante e gostaria de compartilhar com todos aqui. O que mais me chamou a atenção foi o fato de como as pessoas reagem de forma diferente quando estão diante de outra pessoa e quando estão diante de um cão. Nesse caso, entre pessoas, houve algum crime que levou alguém para trás das grades. E esse mesmo alguém se transforma quando está diante de um cão… E fica a pergunta: – o que explica então essa relação entre homem e cão?

Detentos dos Estados Unidos adestram cães atrás das grades.

Fonte: Site UOL Notícias

Detentos de prisões de segurança máxima no Estado americano de Nova York estão trabalhando no adestramento de filhotes de cachorro atrás das grades. Eles treinam os cães para serem farejadores de bombas, guias para cegos e para ajudarem soldados feridos no Afeganistão e no Iraque.

O programa Puppies Behind Bars, ou Cães Atrás das Grades, já garantiu 400 filhotes para o programa de adestramento nas prisões. A iniciativa também mudou a vida de muitos detentos, fazendo com que os presidiários desenvolvam um sentimento de responsabilidade.

Elogios

Os presos cuidam dos animais desde filhotes e ficam com eles por até dois anos, até que os cães sejam passados adiante. O projeto foi criado há 12 anos por Gloria Gilbert. “Eles podem escolher entre cumprir a pena inteira assistindo televisão e sair sem ter adquirido nenhuma habilidade profissional, provavelmente com mais raiva do que tinham quando entraram. Ou podem fazer algo que contribua para a sociedade enquanto estão presos, podendo com isso se sentir mais felizes com eles mesmos”, diz Gloria.

O programa tem recebido elogios de órgãos como o FBI (a Polícia Federal americana) e CIA (Agência de Inteligência dos Estados Unidos). Todos os prisioneiros com quem a BBC conversou disseram que o programa mudou suas vidas. “Não quero mais ser o cara mau,” diz o prisioneiro William Purnell. “E o filhote me fez ver que eu não preciso ser, que posso ser uma pessoa normal, que posso me expressar, que posso ajudar as pessoas.”

No Youtube você poderá assistir a reportagem completa! Vale a pena!

http://www.youtube.com/watch?v=7md7VQJCaog

Adestramento Inteligente, vale a pena investir seu tempo nisso.


Já escrevi aqui no Blog um pouco sobre como foi o início do convívio com meus cães e também como é a personalidade de cada um deles. E uma característica que eles têm em comum é a inteligência! Cada qual à sua maneira, mas são realmente muito inteligentes.

Por isso mesmo, ensinar algumas coisas básicas, mas muito importantes para um bom convívio ao longo do tempo, foi relativamente fácil. É claro que isso pode variar entre as diversas raças existentes. O Golden Retriever está classificado como o quarto cão mais inteligente e isso influencia diretamente na facilidade que a raça possui para aprender. Baseado na minha experiência prática e em informações que pesquisei ao longo desses anos, deixo aqui algumas dicas para quem quer ensinar aos seus cães algumas regras e comandos básicos.

1 – Paciência

Paciência é a chave para tudo, inclusive para se adestrar um cão. Não adianta gritar, bater ou ensinar algo apenas uma única vez. Os cães aprendem por repetição e portanto você terá que repetir o que deseja ensinar algumas vezes até que ele entenda o objetivo daquilo tudo. Além disso, são como crianças, que testam nosso limite e por isso seja persistente até que ele entenda que quem manda no pedaço é você. Já ouviu falar em “macho alfa”?! Pois é, isso é essencial se você quiser ser respeitado na “matilha”.

2 – Reforçamento Positivo

Pegando uma pequena carona na psicologia, um reforço pode ser qualquer evento que aumente a freqüência de uma reação precedente (Myers, 1999). Desta forma, o reforço pode abranger uma série de ações, como um elogio ou uma salva de palmas, por exemplo. Ou ser permitido a uma pessoa ter um momento de folga após a execução de uma tarefa maçante. Entretanto, existem dois tipos básicos de reforço, o positivo e o negativo. Agora que já temos uma idéia do que isso significa, podemos usá-lo a nosso favor para ensinar o que queremos aos nossos cães. Ou seja, toda vez que ele fizer algo da forma como você ordenou, faça festa, carinhos, elogie ou até mesmo dê um petisco (esses biscoitinhos para cães funcionam muito bem). Da mesma forma, quando não obedecer ou fizer algo errado, mostre a sua insatisfação ignorando-o por alguns minutos. Aqui vem algo muito importante: nunca bata, grite ou maltrate o seu cão (ou qualquer animal). Os resultados disso são sempre negativos, como por exemplo, desevolver uma agressividade no cão ou associar a presença do dono (agressor) a coisas desagradáveis.  Seguindo a idéia do reforçamento positivo, você começará a associar as ações corretas a coisas boas. Como o cão quer sempre agradar o seu dono e, claro, ser agradado também, ele passará a evitar as ações erradas.

3 – O que fazer e o que não fazer

  • Não use a palavra “não” a toda hora.
  • Evite dar “bronca” nos momentos em que o cão tiver dificuldades em relacioná-la ao comportamento errado que se quer coibir. Sem a certeza do motivo, o cão irá apenas se acostumar à “bronca”.
  • Muitas vezes, ao fazer algo errado, o cão está apenas querendo chamar a atenção. Cair nessa “armadilha” (por exemplo, correr atrás do animal para retirar um retirar um objeto de sua boca) reforçará esse comportamento.
  • Usar violência física como punição é um erro grave que levará o cão a desenvolver distúrbios comportamentais, como medo excessivo e/ou agressividade. Além disso, depois de estabelecida essa prática, tornam-se remotas as possibilidades de reversões futuras no quadro comportamental.
  • Se, no entanto, a punição for inevitável, é imprescindível escolher o momento exato em que deve ocorrer. A melhor ocasião será durante a “intenção”, antes de o comportamento errado acontecer; ou ainda quando o comportamento errado está acontecendo, sendo ideal torná-lo desagradável ou sem graça. Depois de o comportamento errado ter terminado, a punição fica sem sentido. A melhor estratégia será então tentar provocar a mesma situação novamente para, aí sim, aplicar a punição.
  • É importante integrar os comandos no convívio com o seu cão e exercitá-los ao longo do dia. Por exemplo, sempre que você for fazer carinho, peça para ele sentar, deitar, dar a pata etc. Se você reservar apenas 20 minutos do dia para praticar o adestramento, seu cão pode aprender a obedecer somente durante esse tempo.
  • Elogie seu cão.
  • Pense no petisco como algo além de um alimento. Assim como o brinquedo, a comida ou o passeio, o petisco é um prêmio por ele ter sido obediente. Elogie o cão ao dar o petisco e ao ato dele comer. Com o tempo ele saberá que receber o petisco marca uma aprovação de seus donos e assim a recompensa terá um valor cada vez maior.
  • Mantenha recompensas em locais estratégicos.
  • Petiscos e brinquedos devem estar sempre por perto, espalhados pela casa. Se você deixar essas recompensas apenas na área de serviço, por exemplo, o cão pode responder super bem nesse local e ignorar os comandos no restante da casa.
  • Mostre que você é o líder: Pode parecer estranho, mas o cão nos considera membro de sua matilha. Por isso, para ganhar respeito e confiança dele é fundamental que você assuma a liderança.
  • Procure andar sempre à frente do seu cachorro. Se você perceber que ele se adianta, mude de direção até que ele perceba que deve prestar atenção em você.
  • Seja sempre o primeiro a entrar em casa ou passar por portas e portões.
  • Se ele pedir algo (como comida, petisco, passeio) sempre peça para ele executar algum comando antes. Assim ficará claro que é ele que está obedecendo, e não você.
  • Não seja violento com ele. Os cães costumam imitar os seus líderes, portanto ele pode passar a usar a violência com você quando quiser reafirmar sua posição.

4 – Comandos Básicos

Senta

Coloque a mão com a recompensa (pode ser um biscoito, por exemplo) à frente e acima do focinho do cão e faça um movimento em direção à traseira. Ele terá de olhar muito para cima para ver a recompensa e acabará sentando para conseguir uma posição melhor. Nesse momento, clique e dê a recompensa a ele. Gradualmente, distancie o clicar do momento em que o cachorro sentou, mas exija que ele continue na mesma posição.

Deita

Antes de ensinar esse comando, é melhor que ele já tenha aprendido a sentar. Com o cão na posição sentada, faça com que ele siga sua mão com o focinho em direção ao chão. Se ele levantar a traseira do chão faça com que volte à posição sentada e então comece novamente. Senão, clique quando ele encostar os cotovelos no chão. Com alguns cães é necessário que se recompense algumas vezes apenas por ele ter abaixado um pouco, antes mesmo de conseguir fazer o movimento completo.

Fica

Ensinar o cão a ficar exige um pouco mais de tempo e paciência porque ele gosta de se movimentar e ficar próximo do dono. Para começar a praticar esse comando, coloque o cão na posição desejada (sentado ou deitado, de preferência) e comece a distanciar gradualmente o clique do momento em que ele sentou ou deitou. Com a mão espalmada faça o sinal enquanto repete a palavra “fica”. No começo, clique por alguns segundos parado. Gradualmente aumente o tempo e mude o seu posicionamento em relação ao cão. Inicialmente procure voltar para perto do animal antes de clicar, pois muitos cães ficam muito ansiosos para correr em direção ao dono.

Vem

O comando “vem” é extremamente importante pois é muito utilizado no dia-a-dia. Apesar de fácil de ser ensinado, a maioria das pessoas acaba utilizando esse comando em momentos errados. Falar “vem” para dar uma bronca ou para prender faz com que seu cão prefira se esconder ou correr quando ouve essa palavra. Se você costuma usar “vem” para dar broncas, procure escolher outra palavra como comando. Pode ser “aqui” ou mesmo o nome dele. Para ensinar esse comando, diga “vem” e em seguida mostre um petisco ou brinquedo. Logo que ele chegar até você, clique e dê a recompensa. Vá fazendo isso em diversas situações e quando ele estiver vindo prontamente, passe a mostrar a recompensa somente depois de clicar. O sinal para esse comando pode ser bater as duas mãos nas suas pernas ou levantar um braço e abaixá-lo apontando para o chão.

Essas são as principais informações para que você comece o adestramento do seu cão. Mesmo que no início pareça não surtir efeito e ele continue fazendo algo que você não queira, não desista. Como disse lá no início, paciência é a chave para o sucesso e rapidamente você estará colhendo os frutos disso. Agindo dessa forma, o relacionamento e o convívio com seu cão será sempre mais saudável.