Erros Comuns – Parte II

Semana passada comecei a falar de alguns erros que a maioria dos donos (ou futuros donos) cometem ao escolher um cão. Essa semana quero falar a respeito do que fazer e não fazer quando esse novo companheiro chega em casa.

A maioria quer que o filhote durma sozinho na cozinha, ou na área, ou no canil, certo? Certo! Mas o que a maioria não sabe é que os primeiros dias do filhote são super estressantes para ele. Afinal o universo que ele conhecia até aquele momento foi totalmente alterado. Os humanos que ele conhecia sumiram e surgiram uns novos que parecem boas pessoas, mas que as vezes parecem perder a calma e se tornam apavorantes e agressivos por nada (vamos voltar neste assunto mais a seguir). O cantinho onde ele dormia, sempre junto da mãe e dos irmãos, também sumiu. Aliás sumiram os irmão e também a mamãe. Sumiram os cheirinhos, os lugares conhecidos, os brinquedos…. Enquanto que durante o dia parece que o filhote está num parque de diversões, onde tudo é novidade, quando a noite cai ele precisa urgente da proteção de sua matilha. A gente sabe que não tem perigo algum o bichinho dormir na caminha dele na cozinha, mas ele não, e o instinto dele avisa que durante a noite é preciso procurar a companhia dos outros membros da matilha para se proteger dos predadores e do frio também. Dormir junto é um evento social muito importante para os cães. É preciso entender o quanto é difícil para a maioria dos cachorrinhos se ajustarem a esta nova realidade, para que possamos ter paciência e não perder a cabeça com os choros e uivos durante a noite toda. Existem alguns caminhos que facilitam a nossa vida (e a do cão também) nesse período de adaptação.

O primeiro é que se deixe o filhote dormir com um dos donos. Se isso é absolutamente impossível, que pelo menos se deixe o filhote dormir com um dos donos na primeira semana enquanto ele se adapta. A família vai ter trabalho depois para acostumar o cachorrinho a ficar sozinho na área? Vai, mas pelo menos ele vai se sentir um pouco mais seguro com relação a casa e também sobre as pessoas que agora são a sua nova família. Mas se os donos decidem fazer a transição imediatamente para o cãozinho ficar só durante à noite, que isso seja feito durante o final de semana (menos estresse para os humanos que não vão precisar trabalhar no dia seguinte como zumbis), e que não importa o que houver NÃO ABRAM A PORTA enquanto o filhote estiver chorando, uivando, ou arranhando o portão como um louco. Se o dono decidir que já chega e que o bichinho pode entrar um pouco dentro de casa, que ele só abra a porta quando o filhote estiver quieto por, no mínimo, 10 segundos (que deverão ser estendidos gradativamente). Caso contrário, o dono vai estar ensinado ao filhote que gritos e choros serão recompensados com pronto atendimento, ou pelo menos, serão atendidos quando ficar absolutamente insuportável ouvir aquelas notas mais agudas e estridentes. Aí, toda vez que o cachorrinho quiser alguma coisa, ele vai gritar em plenos pulmões, certo de que em algum momento ele vai incomodar tanto o dono que ele vai aparecer todo solicito. Portanto, cuidado! A vítima pode ser você! O mesmo raciocínio serve para as pessoas que não querem que seus cachorros fiquem implorando comida durante as refeições. Antes de mais nada NUNCA, NUNCA dêem comida – NEM UM PEDACINHO/MAS SÓ UM PEDACINHO – enquanto vocês ainda estiverem sentados à mesa.

E bater? Bater é uma boa idéia? Não, é uma péssima idéia! Especialmente se o filhote é recém chegado e é ainda um bebê. Aliás, por falar em bebê, acho que todos nós ficamos indignados quando sabemos que uma mãe ou um pai começou a bater no seu filho recém nascido só porque ele chorou boa parte da noite, não é? O que se espera dos humanos adultos é que eles tenham bom senso e paciência para entender que os filhotes estão tentando se comunicar e estão de alguma forma sofrendo quando choram (mesmo a manha não deixa de ser um sofrimento emocional causado pela frustração). Então, por que não podemos ter o mesmo critério com relação a um filhote de outra espécie? Por que esperamos deste filhote um entendimento e uma capacidade de adaptação tão rápida e tão grande, a ponto de pensar em bater nele só porque ele está latindo, justamente por não saber o que é esperado dele? Punições neste casos tendem a piorar muito o problema, na medida em que muitos animais passam a perceber que é melhor ter uma atenção negativa do que não ter atenção nenhuma. São geralmente nestes casos em que o cachorro cresce hiper-ativo, incontrolável e com o aparente desejo de só fazer coisas erradas para chamar a atenção dos donos.

Bom, fica claro que a paciência é o X da questão. Inclusive, ser paciente é algo que irá acompanhar o dono de um Golden por toda a sua vida. E, sinceramente, eu hoje sou uma pessoa mais paciente, mais calmo e mais maduro graças muito a meus cães. Eles me ajudam muito a me tornar uma pessoa melhor. E me sinto muito satisfeito fazendo por eles o melhor que eu posso.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s