Criação Responsável

Escolher o acasalamento adequado entre cães é uma tarefa extremamente complicada e que exige muita dedicação por parte dos criadores de qualquer raça. Com o Golden Retriever não é diferente! Para os leigos pode parecer muito simples produzir filhotes de uma determinada raça: basta cruzar um exemplar fêmea com um macho, correto?

 Errado! A arte de criar cães vai muito além da escolha de um pai e mãe bonitos, quando levada a sério. Quando um criador profissional cruza dois Goldens Retrievers, ele pesquisa a fundo o pedigree dos parentes deste cão, bem como suas características fenótipas e genéticas. Isso significa saber quais são as doenças mais comuns na linha de sangue e quais as qualidades e defeitos mais passados por cada cão e sua família.

Golden Retriever

No Brasil não são muitos os criadores que realmente levam o processo a sério. Além da já tradicional checagem de displasia coxo-femural, outras são as doenças genéticas que deveriam ser avaliadas:

  • Displasia coxo-femural
  • Displasia de cotovelo
  • Catarata
  • Problemas cardíacos

Nos EUA existe a OFA que serve como um órgão validador de exames, emitindo pareceres oficiais e ainda tem uma base de dados aberta para consulta, onde é possível identificar o histórico do cão. Essa informação porém é restrita visto que o proprietário do cão pode autorizar ou não que os resultados apareçam. Para alguns cães, por exemplo, vemos anos consecutivos de laudos bons de catarata e depois nenhum registro para um determinado ano. Isso pode acontecer porque o cão falhou no último exame e o proprietário não quis mais apresentar o resultado. Ou simplesmente o cão não falhou mas o dono optou por não apresentar o resultado. Por este motivo, mesmo tomando os históricos disponíveis como base podemos errar e tirar conclusões precipitadas. Saindo do campo da saúde canina, entramos no campo do fenótipo e genótipo.

Golden Retriever

O fenótipo é aquilo que o cão é, como ele se apresenta, se é bonito ou não, por exemplo. Já o genótipo carrega as informações hereditárias, o que o cão recebeu de seus ancestrais e o que ele passa adiante para seus filhos. Mais uma vez são poucas as pessoas que dominam estes campos, mas o importante é entender que Goldens Retrievers com excelente fenótipo não necessariamente produzem bons filhotes porque o seu genótipo pode não ser dos melhores.

Filhotes de Golden Retriever

Quando vamos escolher uma fêmea e um macho para um acasalamento, precisamos ver não somente se os dois são belos mas como são seus irmãos. É comum ver um cão de uma ninhada se destacar, porém seus irmãos serem todos medíocres. Isso indica um problema, já que geneticamente as chances são maiores de produzir filhotes medíocres. Como eram os seus pais? Mais importante ainda: é muito recomendável analisar o histórico de filhotes destes cães. Isso é impossível num primeiro acasalamento de um Golden Retriever mas muito bom quando já teve algumas crias. Assim é possível identificar quais características são mais comuns em seus filhotes. Quais pontos fortes ele passa? Quais pontos fracos? Assim pode-se pesar as chances e escolher um casal adequado para gerar filhotes como você mais espera. 

Mesmo assim a natureza não é uma ciência exata. Com isso, o mais importante é realmente pesquisar tudo, fazer todo o dever de casa possível e ainda sim contar com um pouco de sorte e uma mãozinha da mãe natureza!

Anúncios

2 respostas em “Criação Responsável

  1. Prezado;

    Primeiro, obrigado por colocar em seu blogroll o link do Amigo do Bicho (www.amigodobicho.org). Já retribuimos a gentileza. Segundo, encontramos há mais de 01 mês uma fêmea de Golden aqui em nossa cidade, vagando pelas ruas. Anunciamos no blog, de boca-a-boca, e-mail’s, clínicas veterinárias, etc, e nada de encontrarmos o dono. Normalmente caes de raça na rua se estão sadios foram perdidos, se não foram simplesmente colocados para fora. Acho que o dono fez o exame de Leishmaniose e deu positivo. Mas, o exame na verdade apresentou um falso positivo. a cadela está com Erlichiose.

    Bom, o que quero saber são dicas sobre a raça de alguém que vive o dia-a-dia. Até como obrigação, leio bastante na internet sobre raças para indicar nas nossas adoções. Poderia me dar dicas de alimentação, doenças que afetam a raça, etc?

    A Mel tem provavelmente de 06 a 07 anos, está castrada e hoje em excelente estado de saúde. O pelo está uma maravilha, mas solta que é uma beleza…. Hehehehe… Ela acabou ficando conosco e ganhou 04 irmãozinhos, todos resgatados e com algum problema que impede a doação (velhice, leishmaniose, problemas neurológicos, etc).

    Grande abraço e parabéns pelo blog.

    Marcelo
    Amigo do Bicho
    amigodobichomoc@yahoo.com.br

    Curtir

  2. Adorei esse post. Ele é ótimo, pois as pessoas, muitas vezes com fins unicamente finenceiros, cruzam cães sem nenhum cuidado só pensando no “lucro” que a venda deles pode dar.

    Não sou contra pessoas que não são criadores profissionais (por assim dizer) fazerem cruzamentos, mas é importante que o façam de forma responsável, inclusive pensando qual será o futuro desses filhotes, se eles ficarão em uma família que realmente cuidará deles.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s