Marley & Eu – Sucesso nas telas e na vida real

Quem ainda não ouviu falar do best seller Marley & Eu, de John Grogan? Com certeza, quase todo mundo já leu ou ouviu algum comentário a respeito desse livro, que acabou inclusive virando filme. Mas qual o motivo de tanto sucesso? Por que uma história tão “comum”, que conta basicamente o convívio de um cão e o seu dono, cativou e comoveu tantas pessoas ao redor do mundo? Acredito eu que isso foi motivado por uma mudança em nossa sociedade, que passou a considerar um cão como um membro da família.

O Brasil tem a segunda maior população mundial de cães, 31 milhões, segundo a Associação Nacional de Fabricantes de Alimentos para Animais de Estimação. Talvez por isso o país tenha sido escolhido pelo estúdio Fox para a estréia mundial do filme Marley & Eu ao mesmo tempo que os Estados Unidos, campeões absolutos do ranking de bichos domésticos.

Não duvide do potencial do filme de David Frankel, diretor de O Diabo Veste Prada e Sex and the City, para interessar a todas essas pessoas. As peripécias do labrador da família Grogan poderiam ser as de qualquer vira-lata ou com pedigree. Marley não é um super-herói canino, como Lassie ou Rin Tin Tin. É apenas “um pé-no-saco engraçado e extraordinário, que nunca entendeu muito bem como acatar uma ordem”, nas palavras de seu dono, o jornalista americano John Grogan. Mesmo assim, ao pôr no livro Marley & Eu os momentos de indisciplina e companheirismo do “pior cão do mundo”, Grogan se tornou um dos maiores êxitos de venda do planeta. No Brasil, onde foi lançado em outubro de 2005, Marley & Eu ficou por 110 semanas nas principais listas de livros mais vendidos do país (600 mil exemplares). A ele seguiram-se outros livros e filmes protagonizados por animais. “Falar sobre animais domésticos é um ponto a favor de qualquer livro”, afirma André Castro, diretor-executivo da Ediouro Publicações, que lançou Marley no Brasil.

John Grogan, autor de Marley & Eu

John Grogan, autor de Marley & Eu

Grogan teve a competência de ver, antes dos outros, que seu cotidiano tinha uma história interessante para muitos. “Os animais estão ficando cada vez mais importantes”, afirma James Serpell, zoólogo e professor da Faculdade de Veterinária da Universidade da Pensilvânia. “Nos Estados Unidos pelo menos, o apoio das redes sociais tradicionais, como família e amigos, está cada vez mais fragmentado. As pessoas buscam a companhia dos animais para preencher esse vazio.”

Autor de vários livros sobre a interação entre animais e seus donos, Serpell acredita que a urbanização contribuiu para a aproximação entre cães e humanos. Na área rural, os bichos domésticos costumam passar a maior parte do tempo fora de casa. São como amigos. Nas cidades, eles dividem o mesmo teto, o tempo todo, com os donos. São como filhos. “À medida que o cão fica fisicamente mais próximo, cresce a intimidade”, diz Alexandre Rossi, zootecnista especializado em comportamento animal. “Ele deixa de ser um animal que fica no pasto das fazendas para ser praticamente um filho dentro dos apartamentos.”

Eu e minha esposa vimos o filme quando estreou nos cinemas. Semana passada fui presenteado por ela com um DVD e estamos programando uma sessão pipoca lá em casa para vermos novamente as peripécias desse cão labrador chamado Marley. Para quem ainda não assistiu ou leu o livro, fica aí a dica! Vale a pena!

Ah, e deixo para vocês uma curiosidade… quem quiser conhecer o verdadeiro Marley, o cão que originou tudo isso, pode assistir abaixo trechos do filme que ele participou (o livro conta um pouco disso):

Anúncios

6 respostas em “Marley & Eu – Sucesso nas telas e na vida real

  1. eu vi o filme muitas vezes e eu nao conseguia segurar as minhas lagrimas de emoçoes e chorei muito eu fico muita grata pelo autor desse filme .eu aprendi a dar valor aos nossos melhores amigos os caes que nos amam e que nos fazem feliz e fazem nos rir nos momentos mais tristes da nossa vida e estao sempre ao nosso lado quando nós precisamos de ajuda e apoio .a família do marley aprendeu que os caes nao importao se somos ricos ou pobres,inteligentes ou burros ou se somos idiotas ….o mais importante para os nossos melhores amigos e o amor nosso por ele e se nos demos o coraçao a eles .eles darao os deles . eu pedi ao meu um cao e ele comprou um labrador .E ele é igual ao marley .e ele é descontrolado mas eu ainda o amo do jeito que ele é .ele chamasse ducke .eu amei esse filme …..e muito obrigado pelo filme e muitos parabens o filmes é mesmo lindo…

    Curtir

  2. Nossa assisti ao filme e não só me apaixonei,como ri,chorei,me assustei rs.senti muito prazer em assisti o filme 7 vezes,e nessas 7 vezes não pude segurar as lagrimas as emoções.Eu amo animais especialmente cachorros.Logo após o filme,meu pai me deu o livro”nossa aí que eu me prendi mais ainda”entrei no mundo de Marley.rs foi muito engraçado,pra onde eu ia levava o livro junto,no onibus,no carro,na escola eu ria chorava,o pessoal me olhava sem entender nada rsrs.Se pra mim,sentir essa emoçao sem ao menos ter conhecido ou convivido com Marley,imagina para os donos dele.Que deus guarde esse cão para sempre na memória de todos nós.Depois disso tudo, aprendi a valorizar muito mais meus cães,a ama-los,respeita-los.peço muito obrigado ao ator do livro e dono do Marley.Cachorros são A MELHOR coisa do mundo e o amor mais sincero que um humano pode ter.

    Curtir

    • pois e! eu ja assisti muitas vezes e mesmo sabendo do que ia acontecer nao consegui segurar minhas lagrimas……

      chorei muito na primeira vez em que vi o filme mas certamente o livro tem muito mais informações pois quem o escreveu foi o autor.. e o filme não ele foi baseado não com a ajuda de Jhon(acho que assim seu nome) mas infelizmente para quem não tem coragem de ler 361(se é isso que me lembro) paginas nunca vai saber o que realmente aconteceu em toda a vida de Marley o cachorro que tocou em meu coração…..

      este cão não e só o pior mas muito mais.. e simplesmente o MELHOR………………

      Curtir

  3. Adorei o filme! Me apaixonei por Marley apenas por assistir ao filme e amei mais ainda este bichinho depois de ler o livro! Eu certamente adoraria ter um cãozinho como Marley! Sempre fui apaixonada por labradores!!!

    Curtir

  4. Pingback: Entrevista com o autor de Marley e Eu « Mundo Golden – Tudo Sobre Cães!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s