Golden Retriever e crianças, uma união perfeita!

Eu e minha esposa já planejamos filhos para daqui alguns anos, principalmente porque somos recém casados e ainda queremos concretizar algumas vontades antes de realizarmos o sonho da maternidade.

Mas como já pensamos em filhos, estamos pesquisando algumas coisas relacionadas ao convívio entre Goldens e crianças. Como eu já conheço relativamente bem as características dessa raça, sei que são ideais para famílias, uma vez que possuem temperamento calmo e equilibrado, além de uma paciência acima da média. Isso é muito importante pois as crianças costumam não ter noção das brincadeiras e puxões de rabos ou torções de orelhas são algo muito comum e, na cabeça delas, divertido de se fazer com um cão!

Mesmo assim, busquei mais informações na internet a respeito do assunto para ver se realmente condisem com o que eu disse acima.

Tenho alguns conceitos que concretizei em minha mente e costumo passar aos futuros proprietários de Golden. Um deles é o de que realmente não acredito que um Golden possa morder alguém, salvo em situação extrema. Costumo dizer que se mordeu, não é Golden puro.

Os cães são os melhores amigos do homem, mas nem todos são os melhores amigos das crianças. Fica aqui uma lista das melhores e piores opções de raças de cães para crianças. Mas lembre-se: cães e crianças só devem conviver com supervisão de um adulto.

O problema da compatibilidade entre cães e crianças reside em vários aspectos:

As crianças são “brutas”. Não tendo noção ainda de que podem estar a magoar o cão, as crianças puxam as orelhas e a cauda, apertam os animais, acariciam como quem bate, etc. Alguns cães não toleram abusos, podem rosnar ou até morder para que a criança pare.

As crianças não sabem interpretar os sinais dados pelos cães e são demasiado insistentes. Os cães mais independentes não gostam de demasiada atenção. As crianças são frágeis e os cães de maior porte podem ter brincadeiras mais brutas (podem machucar sem querer). Os cães menores são frágeis e neste caso será a criança que pode acabar por magoar o cão com brincadeiras brutas.

Requisitos para lidar com crianças

As raças mais adequadas a crianças devem ser extremamente pacientes. Devem ser capazes de “sofrer” sem reagir. Embora os cães não sejam santos, existem raças que por norma, são mais tolerantes. Ao contrário do que se possa pensar, são geralmente os cães de grande porte os mais dóceis e calmos com crianças, já que os mais pequenos tendem a ser nervosos e muito reativos. Alguns cães de grande porte passam contudo por um período, até aos 2 anos geralmente, em que são bastante trapalhões e pouco cuidadosos. Isto pode ser um problema se os donos permitirem brincadeiras bruscas, uma vez que o cão pode acabar por magoar a criança, apesar de não fazer propositadamente.

Com os abusos típicos das crianças, os cães pequenos podem também sair magoados ao serem apertados, puxados por uma pata, etc., por isso os cães demasiado frágeis não são indicados. Existem raças de cães que não são adequadas para crianças de 2 anos, mas que convivem pacificamente com uma de 10. Parte-se do princípio que a criança de 10 anos conheça já alguns limites no trato dos animais e que tem robustez física para aguentar as brincadeiras dos cães de maior porte.

As melhores Raças

Estas raças são as que melhor se adequam a crianças de todas idades:

American Staffordshire Terrier – Apesar da reputação que tem (considerado potencialmente perigoso), estes cães são apenas agressivos com outros cães, sendo muito leais com a família e extremamente tolerante e dóceis com crianças. Gostam de ser o único cão da família.

Antigo Cão de Pastor Inglês (Bobtail) – Conhecido por ser a ama das crianças, são muito tolerantes e calmos. Exigem escovagens diárias.

Beagle e outros cães de levante e corso (hounds), tais como o Bloodhound, o Harrier, Irish Wolfhound e o American Foxhound – São brincalhões e tolerantes, mas bastante enérgicos. Não são geralmente cães de apartamento.

Boxer – Um cão de guarda, que protege a família e lida muito bem com os mais novos.

Caniche Grande – Os caniches de porte mais pequeno são nervosos e reactivos, o que não acontece com a variedade grande. O Caniche Grande é uma ótima opção para famílias com crianças.

Cão de Água Português – Ativo e elegante, é um cão tolerante com as crianças. Ficou famoso recentemente por ser o cão escolhido pelo presidente dos EUA, Barack Obama.

Collie de pêlo comprido ou curto e Bearded Collie – São bastante pacientes com crianças, mas exigem muita manutenção com o pêlo.

Golden Retriever, Retriever do Labrador – A docilidade destes cães precede-os. São tolerantes e pacientes. O Labrador Retriever é contudo bastante trapalhão e excitável enquanto não atingir a idade adulta e pode ser necessário mais algum cuidado na vigilância das brincadeiras.

Havanês – É um cão de colo, pequeno e de apartamento, mas aceita bem crianças na família.

Hovawart, Terra Nova e São Bernardo – São cães muito calmos e pachorrentos. Aturam as maiores travessuras, mas são bastante trapalhões enquanto pequenos e pode ser um desafio tentar fazer com que tenham cuidado com os movimentos.

Mastiff – Um poderoso guarda, mas um gentil gigante com a família. Necessita contudo de uma forte socialização e não deve ser cão para donos inexperientes.

Pug – Pequeno e cão de apartamento, o Pug foge ao estereótipo dos cães pequenos e nervosos. É paciente, mas pode ser demasiado frágil para as crianças mais brutas.

Algumas raças NÃO indicadas para crianças

Estes cães são óptimas companhias, mas não gostam de ser tratados de forma bruta ou de serem constantemente assediados pelas crianças. Como em todos os casos, existem excepções e a capacidade de uma criança e de um cão de uma destas raças conviverem depende muito da educação que tanto a criança como o cão recebem. São contudo cães mais indicados para adultos ou adolescentes e muitos estão entre as melhores opções para idosos.

  • Alaskan Malamute
  • Baixote
  • Caniche Médio, Anão ou Toy
  • Chihuahua
  • Chinese Crested Dog
  • Chow Chow
  • Epagneul Japonês
  • Epaneul do Tibete
  • Jack Russell Terrier
  • Llhasa Apso
  • Pequinês
  • Pinscher Miniatura
  • Saluki
  • Schnauzer Miniatura
  • Tibetan Terrier
  • Weimaraner
  • Yorkshire Terrier

Ao escolher o cão, tenha em atenção todas as outras necessidades. Apesar da convivência com uma criança ser muito importante, as outras características do cão também o são. Se escolher, por exemplo, um Labrador, tenha em atenção a sua necessidade de exercício, isto porque manter qualquer cão fechado no interior ou constantemente preso acaba por afetar o temperamento do mesmo, tornando-se frustrado e destrutivo, passando a ser um cão mais instável. Os pais devem ter também a noção de que crianças e cães não devem conviver sem supervisão, independentemente da raça. Por muito responsável que seja uma criança, criar um cão é uma tarefa de adultos, por isso cai sobre os pais e não sobre a criança a responsabilidade que ter um cão acarreta.

Então, se você acha que ter um cão pequeno é mais seguro para sua criança, engana-se redondamente. Cães pequenos mordem mesmo e machucam, pergunte a um banhista de petshop se ele prefere dar banho em um pitbul ou em um poodle, tenho certea que a resposta será a preferência ao pitbull.

Contudo, as crianças que crescem com cães vêm neles os melhores amigos, confidentes e um apoio emocional. Perceber que lidar com outros exige educação e limites, torna as crianças mais responsáveis, equilibradas e menos egocêntricas. Crescer com um amigo fiel é uma das melhores experiências que pode proporcionar a um filho.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s