Labrador

Quero falar aqui um pouco a respeito de uma raça cada vez mais popular pelo mundo todo, o Retriever do Labrador, ou simplesmente, Labrador. Essa raça é muito popular por ser considerado um cão dócil, inteligente e de fácil convívio com pessoas e crianças. Nos últimos anos, ganhou ainda mais força depois do sucesso do livro Marley e Eu (de John Grogan) e que, posteriormente, virou um filme com o mesmo nome. Porém, apesar de todo esse sucesso, e como qualquer outra raça, possui algumas características que precisam ser bem avaliadas e entendidas antes de se decidir a ter um.

Filhotes de Labrador
Filhotes de Labrador

Existem muitas teorias que tentam explicar a origem da raça Retriever do Labrador, dentre elas a de que a raça teria se originado na península do Labrador, e a segunda que é mais provável, se originado na ilha de Terranova.

A historia da raça começa no Século XV, numa região fria e pouco habitada da ilha de Terranova, descoberta por John Cabot, que logo percebeu o grande potencial de pesca que havia naquelas costas litorâneas e já antes mesmo do ano de 1500 muitos pesqueiros ingleses por ali trabalhavam. Apesar da proibição inicial de que os pescadores se estabelecessem ali na costa, pois os donos dos barcos temiam a concorrência, o que de fato ocorreu, e que em alguns anos muitos pescadores provenientes de Dorset e Devon ali chegaram, esses homens, apesar de terem pouca cultura, eram bastante corajosos e perseverantes, e tinham grande habilidade para a pesca e para a caça. Provavelmente em sua terra natal estes ingleses já caçavam com o auxilio de cães, e neste novo território notaram a necessidade deste companheiro canino para que pudessem caçar com mais produtividade; e aqui surge a maior dúvida em relação à raça, pois eles teriam trazido estes cães da Inglaterra, ou teriam de fato encontrado no novo território um cão que fosse treinável e que pudesse auxiliá-los nestas tarefas? Esse extraordinário cão tinha como função rudimentar ir buscar coisas perdidas pelos barcos e desenganchar redes de pesca. Por ser um extraordinário Retriever, o Labrador adorava esse serviço e desenvolvia esta função em águas das mais geladas às mornas. Há registros que indicam que esses pescadores pescavam com embarcações nas costas litorâneas da Ilha de Terranova e Labrador, e que levavam consigo sempre um cão a bordo. As escritas descrevem este cão como “menor do que um terranova” de pelagem mais curta, mais densa e eles de fato adoravam mergulhar no mar para recolher os peixes que escapavam das redes. No fim do trabalho esses cães eram içados do mar pela pele da nuca. Lá pelo inicio do Século XIX, dois tipos de cães bastante parecidos em suas aptidões esportivas e temperamento, porém de tamanho bastante diferenciado, um maior que era usado como puxador de redes de pesca e cão de carga, que mais adiante seria chamado de Terranova, e outro menor com pelagem densa porém mais curta, que era usado como recolhedor de caça em terra e na água, que a época era chamado de cão de St. John, e seria nosso atual Labrador. Vindo da Inglaterra ou não, é certo que esses pescadores que também caçavam em terra, se prevaleciam destes cães em terra ou no mar para lhes auxiliarem na sua incessante busca por alimentos, e também que em algum momento este cão teve sua reputação de incrível recolhedor espalhada pela Inglaterra. Nesta época, os aristocratas Ingleses viviam em imponentes casas dentro de propriedades rurais e tinham por hábito o passatempo da caça. O Lorde Malmesbury e o Coronel Peter Hawker possuíam propriedades bastante próximas ao porto de Dorset, principal porto de entrada dos pescados vindos de Terranova (Canada), e entusiasmados com a fama destes cães, compraram dos pescadores vários cães, sendo o Coronel Hawker que em 1812 nomeou os cães como sendo o maior de Terranova e o menor de Labrador, em 1814 o entusiasmando Cel. Hawker escreveu um livro – “Instruções para jovens esportistas”, no qual descrevia o Labrador como sendo o melhor cão para qualquer tipo de caça com armas de fogo. Não demorou muito para que a reputação de excelente cão de trabalho do Labrador se espalhasse pela Europa, e já em 1904 tínhamos um lab concorrendo em provas de campo. Seu nome era Munden Single. Neste mesmo ano, o Kennel Club reconheceu a raça labrador, que teve como sua primeira ninhada registrada do Canil Munden e era composta por sete exemplares. O Labrador antigamente era reconhecido apenas na cor preta. Amarelo e chocolate eram considerados cães sem raça definida, e às vezes até executados pelos criadores, pois achavam que era uma maldição imposta à cadela. Depois de muitos anos verificou-se que poderiam nascer essas cores normalmente do cruzamento de dois pretos, e daí em diante eles passaram a ser aceitos no padrão da raça.

Exemplar de cor marrom

Exemplar de cor marrom

Uma das principais características da raça, ponto de honra para os criadores sérios, é o bom temperamento, índole gentil, com muita vontade de agradar, olhar equilibrado, sem traços de timidez ou agressividade. Um labrador com o temperamento correto sempre olha para o dono diretamente nos olhos (eye contact), é confiante, de natureza bondosa inclusive a desconhecidos.

Em realação aos problemas de saúde podemos destacar a tendência à obesidade e a displasia coxofemural, que é uma doença ortopédica heriditária muito comum em cães dessa raça. Esta doença se caracteriza pela má formação da articulação coxofemural, ou seja, a inserção do membro traseiro na cintura pélvica. Os primeiros sintomas aparecem principalmente por volta dos 4 aos 7 meses de vida, quando o animal afetado começa a mancar e sentir dor quando anda, principalmente nos pisos mais escorregadios. Devido a dificuldade para andar, o cão pode não mexer o membro e o músculo pode atrofiar. A displasia coxofemural é geneticamente recessiva, por isso tanto o macho quanto a fêmea precisam ter a doença, ou pelo menos o gen para que os filhotes também tenham. Mesmo assim, essa deficiência se tornou mais comum, a partir do momento em que os proprietários cruzaram animais afetados sem se preocupar com a transmissão. Portanto, é de extrema importância que você procure criadores sérios e que possuam controle de displasia de seus cães.

Haja energia...

Haja energia...

Outro fator muito importante a ser considerado antes da escolha de um Labrador é se você terá tempo, disposição e espaço suficientes para cuidar dele. Os Labradores são muito ativos (muito mesmo, acredite em mim!), principalmente quando filhotes, possuem uma inteligência acima da média e precisam de muita atividade física para crescerem saudáveis (tanto físico, como mentalmente). Portanto, se você não é do tipo que curte caminhadas e brincadeiras ao ar livre, não costuma ter muita paciência ou não possui um bom espaço para que o seu cão se desenvolva, pense bem. Ele pode se tornar um grande problema, passando a apresentar um temperamento mais agressivo e destruidor. Não que isso seja exclusividade do Labrador… qualquer cão precisa de cuidados e condições adequadas para seu correto desenvolvimento. Mas no caso do Labrador, essas condições são fundamentais para que ele creça saudável e com um ótimo temperamento, ou, caso contrário, você terá uma enorme dor de cabeça com o seu companheiro.

Espero que essas informações ajudem a quem estiver pensando em ter um Labrador como fiel amigo. Com certeza, não irá se arrepender nunca dessa decisão. Só esteja atento às necessidades e cuidados que a raça exige e procure sempre por criadores sérios. Dessa forma, terá um companheiro ideal e saudável por muitos anos.

(Nota: partes dos textos acima foram retiradas dos sites www.blacklab.com.br/Padrão%20Comentado%20-%20Portugues%20versão%204.1.pdf e http://www.saudeanimal.com.br)

Anúncios

15 respostas em “Labrador

    • Bom, não sei se ele mora em apartamento ou casa com quintal, mas tente exercitá-lo bastante com brincadeiras. Isso irá diminuir a ansiedade e gastar o excesso de energia dele.
      Além disso, deixe uns brinquedos específicos para cães para que ele possa se distrair com isso ao invés de atacar os móveis e chão.

      E por último, cachorro feliz é cachorro cansado! 🙂

      Abraços!
      Gustavo Teixeira

      Curtir

  1. Morro de vontade de ter um também .. mais minha mãe tem um pouco de receio de deixar , pelo fato de falarem que é muito bagunceiro , e tem muito gasto .. isso é verdade ou um mito ?

    Curtir

    • Marina, isso é realmente um fato!

      O Labrador normalmente é um cão com muita energia, que precisa de espaço e atividade física para ter um bom desenvolvimento físico e mental. Caso contrário, poderá torna-se um cão agitado, temperamental e destrutivo. Além disso, os gastos para se manter adequadamente um animal de estimação são altos: vacinas, proteção contra pulgas e carrapatos, ração de boa qualidade, consultas, banho e tosa, sem contar os diversos mimos existentes. Portanto, avalie bem esses itens e converse com a sua mãe a respeito. Ter um animal de estimação é algo muito prazeroso e educativo, mas exige tempo, dedicação e dinheiro.

      Boa sorte.
      Gustavo Teixeira

      Curtir

  2. A raça canina Labrador possui características bastante peculiares, como por exemplo o paciência, inteligência, é BASTANTE dócil e o mais importante é EXTREMAMENTE COMPANHEIRO. Claro que, todo animal é o “espelho” de seu dono/criador. Tenho 2 raças bastante distintas que convivem juntas e são como irmãs, uma Labradora e uma Rottweiler, são duas leides. Porém quem toma conta da casa sem dúvida é a Rottweiler. Minhas “meninas” são maravilhosas, são meus amores.

    Curtir

  3. eu sou dooooooooooooooooooooooooooooida para ter um labrador mas meu pai diz que é muito gasto por causa de que tem vacinas carerrimas e comida e etc. tem q ter mais ou menos quanto para ter um labrador durante um ano?

    Curtir

    • Mais ou menos uns 3000, contando com o valor pago por ele, em torno de 500 pilas o filhote. Ração, veterinário e vacinas fazem chegar nesse valor.

      Curtir

  4. òtimo artigo, esta de parabens, mas tenho uma duvida sobre esta raça, eu tenho um filhote de 5 meses de idade, e eu gostaria de saber se tem alguma possibilidade de depois de adulto este labrador fazer guarda, ou simplesmente ficar um pouco agressivo a ponto de não deixar um estranho entrar em casa? teria algum treinamento para que isso seja possivel ???

    Curtir

    • O meu desde i ano tornou-dr arredio a pessoas estranhas e hoje não admite pessoas estranhas em casa e avança de verdade em estranhos.

      Curtir

  5. Muito bom, gostei muito! Tenho um Labrador amarelo femea e é o cão mais dócil que já tive e pretendo ter mais, um abraço.

    Curtir

  6. Pingback: Uma saúde animal « Mundo Golden – Tudo Sobre Cães!

  7. Gustavo amei o blog, gostei muitoooooooooo…. Parabéns…Confesso que fiquei um pouco triste e com depressão devido a minha situação com meu cao…rsrsrs 😦

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s